Cose di croniche

As crónicas que saem do Cose Tante. Ou não.

Cinema. Aaw the movies!

with 2 comments

Tão bom ir ao cinema, não é? É. Às vezes.
Não, não vou falar nas pipocas. Também gosto do milho estalado e cheio de açucar. Há duas formas de as comer: a civilizada e a outra. Eu uso a primeira.
Adiante, que do que quero falar é do comportamento nas salas de cinema.
Já tenho tido sessões normais, em silêncio, com risos pertinentes, mas de vez em quando lá vem uma daquelas em que percebo que ver filmes em casa pode vir a ser uma opção.
Há os indios de vez em quando, sim. Adolescentes que entram e saem da sala em bando, correm escada acima, voam escada abaixo. Mas apanhei estas tribos poucas vezes.
O que eu vejo mais, o que eu colecciono, são cromos mais velhos, daqueles que ainda nem traziam cola.
Eu vejo filmes normalmente calada, muito pontualmente farei um comentário, sempre num sussurro. Vá com quantas pessoas for, comentamos o filme depois. Poderei falar mais alto na sala, mas em circunstâncias de que já falarei.
Dizia então, os grupos. De três, cinco, dez pessoas. Há grupos pelos quais não se dá. Há grupos que inevitavelmente fazem algum barulho, mas que é tolerável. E depois há os que acham que estão na sala lá de casa, que têm de comentar para o amigalhaço, ou marido da amiga que ficou no extremo da fila que coincide precisamente com as costas da minha cadeira. As amigas que têm de rir deste comportamento dos machos ou ainda comentar tudo menos o filme.
Os casais. Quando eu sou um casal tenho o mesmo comportamento no cinema que quando não sou, e não me é dificil. Não consigo perceber perguntar-se durante um filme: “Olha! Morreu…?” se um personagem tem as visceras ao sol. Normalmente são as senhoras e meninas que fazem estas perguntas do género ajuda-me-que-estou-tão-perdida-e-sem-ti-não-percebo-o-mundo. E isso, mais do que triste, deixa-me verde. É nestas alturas que às vezes me sai um “Oh, tão perspicaz! Que esperta!” e aí sim, também eu falo alto na sala.
Os homens são magnânimos e explicam, ensinam, elucidam, traduzindo as imagens – “ele agora vai descobrir que foi o outro” ou pior, revelando o desfecho que eles, iluminados, perceberam. Aqui, às vezes também largo um: “Ah… obrigada!” para a fila de trás ou um ostensivo “Aaaaah agora sim percebi!” para quem está comigo. Não lhes ocorrerá que o filme está feito assim, de forma a que quem vê vá descobrindo? E que somos muitos milhões no planeta a ver e a raciocinar?
Por último, os ilustres salientes, que podem estar em grupos, pares ou sós, são aqueles que acusam o reconhecimento numa gargalhada despropositadamente alta, que se traduz em “eu percebi esta, esta foi muito boa e eu percebi”.
Este público não varia conforme a sala. Afirmo-o com conhecimento de quem conhece quase todas as salas de Lisboa e linha do Estoril. Também não depende das sessões. É uma questão de sorte ou abstracção minha, talvez.
Deixo para último esse instrumento que nos é tão útil em todo o lado menos numa sala de cinema: o telemóvel. Ficou para o fim, também por ser transversal: não há idade, género, número ou grau para o usar. Já não é suficiente a luz cada vez mais intensa dos telefones, ainda há quem os deixe tocar e mesmo quem atenda e converse.
Ir ao cinema não é simplesmente ir ver um filme. É fonte de estudos sociológicos, garanto. Escreverei mais vezes porque preciso destas catarses. Ir ao cinema é ter sem querer, material para uma espécie de crónica.

Anúncios

Written by Marta

Janeiro 7, 2009 às 9:52 pm

Publicado em Uncategorized

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Realmente, hoje em dia ir ao cinema é uma aventura. Há uns tempos, fui ao cinema ver o novo filme do James Bond e um bando de aves-raras, aka adolescentes, achou por bem andar a subir e a descer escadas, a atender telemóveis, a passar à frente das pessoas, o filme inteiro.Aaahhh… Nunca me apeteceu tanto na vida, ter ali o James Bond em pessoa e dizer:- James! Dá aí uns tirinhos à malta e bora ali beber uns Martinis, pá!:)Bjs!

    Paula

    Janeiro 9, 2009 at 2:57 pm

  2. Às vezes é mesmo dificil a abstracção dessa passarada :)Obrigada pela visita Paula.BjsMarta

    Marta

    Janeiro 12, 2009 at 12:21 pm


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: