Cose di croniche

As crónicas que saem do Cose Tante. Ou não.

O corredor mágico

with 3 comments

As pessoas que sabem onde está o iogurte natural e vão direitas a ele à primeira, são seres especiais, de grande valor e certamente qi elevado. Ou então vão apenas às compras mais vezes que eu.
Um dia destes quis fazer um cheesecake. E fi-lo de facto. Que era rápido, não custa nada e sabe bem.
Fui à selva comprar o que não tinha em casa – giro ter mascarpone e folhas de gelatina, mas não ter açucar ou iogurte.
Lá me voltei a aventurar a horas insuportáveis no caos de carrinhos, cestos, gente e mais gente. Eu sabia o que queria e, normalmente, isso funciona. Corro a buscar e fujo dali. É muito simples e muito rápido, digo eu quando vou aos cogumelos congelados.
Tudo corria bem, faltava só o iogurte. Queria natural, qualquer marca. Fácil… pensava eu.
Para quem não sabe, não é um frequentador deste corredor, fique a saber que há um mundo de iogurtes que não acaba.
O corredor abriu-se à minha frente para me atrasar e infernizar. Percorri-o convicta de que sabia onde estavam os naturais. Cheguei ao fim sem os encontrar. Parei e voltei-me. Parecia uma floresta de caixas e frasquinhos a rir de mim. Voltei ao principio olhando todas as prateleiras com a minha máxima atenção.
Cores, formas, desenhos. Frutos, bonecos, smarties, espigas. Tampas, brindes, a quatro, a oito a doze. Só o iogurte natural não me saltava á vista.
Senti-me Alice no País das Maravilhas, por momentos esperei que os e os pedaços e os bifidus falassem comigo, ou os líquidos pegassem em mim e me levassem até à Grande Iogurteira do Reino.
Eles, os iogurtes pois, riam-se. Ouvia-os rir-se de mim e quase juro que diziam “morno, morno… oooh frio…” e eu às voltas.
Perdi-me, sim. No meio de dietéticos, com bifidus, sem bifidus, com cereais, de sobremesa, de queijo fresco com aromas, só aromas, só queijo, actimeis, cheios de natas, de soja… eu sei lá. Só procurava um iogurte natural e perdi-me no mundo do leite fermentado.
Fui aos congelados arejar (isto foi totalmente involuntário) e quando voltei fui direita ao iogurte natural. Peguei em quatro só para mostrar como é. O corredor estava em silêncio desta vez. Quem lá estava não deu por nada, mas eu sei que os vi intimidados, olhando-me com algum respeito. Os iogurtes, pois.
PS – Numa próxima espécie de crónica retomarei o registo de que mais gosto. Até lá.
Anúncios

Written by Marta

Janeiro 21, 2009 às 9:27 pm

Publicado em Uncategorized

3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. O mundo dos iogurtes, é um mundo desconhecido e tenebroso…Daqui a pouco, também inventam iogurtes com sabor a carne assada ou tripas à moda do Porto…:)Bjs!

    Paula

    Janeiro 22, 2009 at 1:08 pm

  2. Lol, eu tenho a mesma dificuldade. 🙂

    Andreia

    Janeiro 23, 2009 at 10:55 am

  3. Pouco falta realmente :)Lol 🙂

    Marta

    Janeiro 25, 2009 at 7:04 pm


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: