Cose di croniche

As crónicas que saem do Cose Tante. Ou não.

Do topless

with 3 comments

Comprei ontem um bikini e hoje vinha escrever sobre topless. Vinha e vim. Mas o que pensei que escreveria já mudou de sentido antes de passar para o blog.
Vinha escrever que não o faço, esclareçamos já. Nada contra mas não faço. Este nada é, admito, relativo. Vamos por partes.
Nada contra tirando aquela conversa da pele mais sensível, faz-me um bocadinho de confusão a exposição, etc.
Nada contra, exptuando também que acho um fato-de-banho, um bikini, um trikini, todos alternativas mais bonitas e elegantes. Ora, foi precisamente neste elegante que tropecei no raciocínio e atropelei as ideias.
Em praia portuguesa, possivelmente mundial, quantas pessoas ficam perfeitas nos seus trajares de praia? Se aceitarmos que a perfeição é coisa do photoshop ou do Olimpo que eu acredito em semi-deuses e deusas, será uma minoria.
Passemos ao aceitável. Por praias portuguesas vê-se muita celulite, muita perna curta e roliça, muita magreza feia também. E portanto, o aceitável será um pouco menos de cada umas destas coisas. Quanto mais imperceptível melhor. Se estas pessoas estiverem vestidas, é delas que falo. Ficam ou não ficam bem de rosa, verde, encarnado ou amarelo? Uma explosão de cores em duas peças que lhes acenta bem e equlibra o resto?
Depois do aceitável as tais “estou embaixo de forma” que vão do pneuzinho a mais, à beira do abismo da obesidade. Aqui, é discutível o aspecto que têm seja com o que for. Avancemos, que não cheguei ao dito topless.
As mulheres praticam-no de pelo menos duas formas: total e parcial. O total é aquele em que a parte de cima do bikini, a existir, serve apenas para a viagem de ida à praia e regresso a casa. O parcial é o que praticam as senhoras que a usam para ir a banhos e na toalha estão sem ela. Não sei, não me perguntem que também não sei porquê. Se alguma destas praticantes ler e quiser elucidar-nos, be my guest.
Agora comecemos a juntar as duas coisas: a forma ao método.
Mulheres esculturais-ou-o-mais-perto-que-se-encontrar-no-areal em topless. Nada contra – tirando lá está, que faz mal e tal, mas o sol não faz bem a ninguém. Mesmo que tenham tatuagens no fundo das costas, piercings no umbigo, ou estejam só de string. Se estão em forma, não fere a vista, é fazer o que apetecer e quem não quiser não olha.
Mulheres que não encaixem nas duas categorias anteriores: topless proíbido. E antes que me digam que não se proibem coisas, a liberdade e mais não sei quê, duas coisas: eu não tenho o poder de proibir nada numa praia e o primeiro a dizer que a Esquerda-Odete-Santos é tão atractiva como a Esquerda Drago-Amaral Dias é um mentirosão.
Estamos a falar de pornografia. Que é mais pornográfico? Uma mulher com um peito decente à vista de todos ou um Bibendum violentando dois pedaços de lycra que não pediram a ninguém para nascer?
Pornografia são crianças com mais quilos que meses de vida, mulheres com massa adiposa para dar e vender. Eu vinha falar do topless, das tatuagens e do ar de algumas pessoas. Não vinha dizer mal de quem o faz, mas satirizar um padrão, qualquer coisa parva que me ocorresse. Mas fui atacada por estes pensamentos. De repente, lembrei-me destes paquidermes.
Lembrei-me ainda de pior. Mulheres que conheceram a crueldade da força da gravidade. E não estou a falar de si, a quem o peito perdeu apenas alguma firmeza. Falo de mamilos que roçam a cintura, de auréolas quase pretas em pele branca como a cal. E elas, muito orgulhosas e descomplexadas, a segurar maçãs na boca enquanto prendem o cabelo. Verdadeiros leitões, isso sim. Falo de pessoas de pele flácida e mamas mirradas a tentar alguma atenção. Isto além de pornografia barata, é deprimente.
Nestes casos sim, o topless é pornografia mas é apenas apanhado no caminho. O topless é uma tontice perto destes atentados ao pudor. Eu não posso proibir nem tenho de ver. É apenas um texto.
Anúncios

Written by Marta

Julho 19, 2009 às 7:46 pm

Publicado em Uncategorized

3 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Está divinal esta tua mini comédia :D. Bom fim-de-semana.

    Pete

    Agosto 1, 2009 at 9:36 am

  2. Temos opiniões bastante semelhantes, especialmente a situação dos leitões. No entanto, eu faço topless, e as pessoas não se queixam. Pelo menos a mim. :)Relativamente às mulheres "boas" (entrando nas tais duas categorias que descreveste) que fazem topless, não acho mal, mas também poderiam fazê-lo apenas em locais "pré-determinados", pois no meio do "público" podem distrair, como já vi casos de pessoas a tropeçarem noutras devido a uma situação semelhante :)Bom post. Gostei.

    Bruno Bernardino

    Agosto 21, 2009 at 8:47 am

  3. 😉 Obrigada aos dois.Muito bom, as pessoas a tropeçar. Não me é nada dificil imaginar 😀

    Marta

    Agosto 26, 2009 at 12:23 pm


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: